Histórias sobre o limpador de para-brisa

limpando vidro dianteiro do carro
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest

Os limpadores de para-brisas são tão importantes nos Fiat seminovos como em qualquer outro tipo de veículos por conta da segurança que proporcionam quando a chuva nos surpreende no meio do caminho. Mas nem todo mundo conhece algumas curiosidades sobre um dos inventos mais importantes no mundo automotivo.

Se você tem um dos modelos Fiat seminovos ou um carro usado de outra marca ou até um veículo 0 km que acabou de comprar, deve saber que mesmo fazendo uma excelente manutenção e limpeza do veículo, se tiver as palhetas do limpador de para-brisas em mal estado, estará correndo perigo.

A visibilidade enquanto você dirige sob uma chuva forte será seriamente atingida por causa de umas palhetas estragadas ou quebradas, e isso colocará você em risco, mas também a todos os que estiverem viajando com você nos seminovos da Fiat ou de qualquer outra marca automotiva. Vale destacar que poderá estar colocando em risco também aos outros carros que circulam ao redor do seu veículo, bem como os transeuntes!

limpador de para-brisa

Algumas curiosidades interessantes

Lembrando que é necessário verificar sempre o estado das palhetas do limpador de para-brisas, trocando elas se for necessário para evitar qualquer tipo de acidente, conheça algumas curiosidades sobre essa parte tão importante dos seminovos Fiat e de todos os outros veículos que existem no universo automobilístico:

  1. Os engenheiros Robert Douglas, John Apjohn e Mary Anderson inventaram o limpador de para-brisas no ano de 1903. No entanto, Mary Anderson ficou com os méritos, porque o sistema que ela criou foi o primeiro eficiente. Foi nele que grande parte dos fabricantes daquela época se basearam para colocá-lo nos veículos que fabricavam. Aquele limpador funcionava através de uma alavanca dentro do carro e o braço da mola movimentava-se para frente e para trás, tendo um contrapeso que afirmava o contato entre o vidro e a palheta.
  2. Já no ano de 1923, Raymond Andrson, John Amos e John Oishei Etal inventaram os primeiros limpadores de para-brisas intermitentes. Mas foi em 1963 que Robert Kearns, professor universitário de Detroit, Estados Unidos, criou o sistema que acabou se popularizando.
  3. A primeira palheta de borracha foi desenvolvida no ano de 1917, tendo um mecanismo de duas peças.
  4. Originalmente, o Citroen 2CV tinha um sistema mecânico de limpador de para-brisas, que se conectava à transmissão através de um cabo com o qual funcionava também o velocímetro. Quando o carro devia parar, os limpadores não funcionavam e deviam ser acionados de forma manual através de uma alavanca.
  5. Se localiza na Bélgica, especificamente em Tienen, a maior fábrica de palhetas de limpador de para-brisas do mundo. Esta produz por volta de 55 milhões de palheta por ano.
  6. Uma equação interessante: as palhetas varrem mais de 750 mil vezes o para-brisas durante a sua vida útil. Isso significa limpar, aproximadamente, a superfície total de 80 campos de futebol. É aconselhável trocá-las uma vez por ano ou quando perceber que ficam partes sujas ou que impedem uma visão perfeita quando o limpador está em funcionamento. Jamais devem fazer barulho. Nesse caso, devem ser trocadas com urgência.
  7. É importante destacar que as palhetas se estragam por conta das mudanças de temperatura e da exposição direta aos raios do sol. Os carros que ficam estacionados dentro de uma garagem conservam bem às palhetas.
  8. É aconselhável que seja um profissional quem faça a troca das palhetas, porque uma má instalação pode arranhar o vidro ou não funcionar eficientemente. Em uma concessionária Fiat seminovos, por exemplo, poderão indicar onde fazer essa troca.
  9. Para uma melhor conservação, as palhetas devem receber uma boa limpeza periodicamente. Esta deve ser feita com um detergente e uma esponja, minimamente uma vez por mês. Desse modo, qualquer sujeira ou aderência será
    retirada.
  10. O limpador de para-brisas não deve ser acionado quando o vidro estiver com muita sujeira, poeira ou, dependendo da região, com gelo. Isso estragará o vidro com certeza absoluta. Para lembrar: um líquido especial para o limpador de para-brisas será o mais adequado para melhorar a eficiência e a vida útil das palhetas.

Compartilhe com seus amigos!

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin